NOTÍCIAS
Interior em Destaque
08/08/2020

Líder indígena acusa policiais do COE de matar dois indígenas inocentes durante mega operação na Zona Rural de Nova Olinda do Norte. OUÇA OS ÁUDIOS

Compartilhar:
Foto: Divulgação

A denunciante enviou fotografia e disse que policiais do COE entraram em área indígena sem autorização

A líder indígena de uma das comunidades da zona rural de Nova Olinda do Norte, que não revela seu nome, gravou áudios com denúncias gravíssimas em que acusa os policiais do COE que participaram da mega-operação na última quarta-feira, de matar dois indígenas, que segundo ela eram inocentes e não tinha nada a ver com o tráfico de drogas ou qualquer outro tipo de crime naquela região.

 

A mega-operação foi realizada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e coordenada diretamente pelo comandante geral da Polícia Militar, cforonel Ayrton Norte, após os assassinatos do sargento M.Wagner e o cabo C. Souza, quando realiavam uma ação para prender o criminoso "Bacurau" e sua quadrilha formada por traficantes e piratas de rio, na Comunidade Terra Preta, em Nova Olinda do Norte.


Foram enviados quatro áudios e em alguns trechos do primeiro deles, enviados ao PORTAL DO ZACARIAS, a suposta líder indígena relata a seguinte denúncia:

 

Veja também


SECRETARIA DE SEGURANÇA DIVULGA NOTA COM OS DETALHES DA MEGAOPERAÇÃO DO COE E SOBRE A MORTE DE UM CRIMINOSO EM NOVA OLINDA DO NORTE, INTERIOR DO AMAZONAS


IMAGENS FORTES! Doze bandidos já teriam sido mortos nesta quarta-feira em confronto com policiais militares em Nova Olinda Do Norte, interior do Amazonas


“Eu quero apoio de todos do grupo. Coisa cruel que fizeram com o meu pessoal. Não tinham nada a ver com o tráfico, eram pessoas inocentes, não eram bandidos porque o pessoal da foz conhecia muito bem o Josimar Moraes da Silva (morto a tiro e encontrado morto e boiando no lago), filho do Joca, da família Almeida”.


No segundo áudio a líder indígena relata, sempre podindo que seja feita justiça:


“Eu como liderança quero justiça, porque isso não se faz, nos somos seres humanos. Nós somos indígenas, nos não somos bicho nem animal para morrer desse jeito. Sobre o corpo do rapaz da área indígena ele não tinha nada a ver com trafico, era pessoa inocente. Somos indígenas Mundurucus. Os corpos sumiram no dia que a policia entrou no laguinho do Bem Assim, a aprtir das 8 horas. Preciso da ajuda para divulgar o que eles fizeram. Foi cruel, a polícia não devia ter feito isso”, declara a denunciante.

 

A mega-operação foi realizada na zona rural de Nova Olinda do

Norte na quarta-feira após as mortes do sargento M. Wagner e do cabo C. Souza

que eram integranrte do COE da Polícia Militar do Amazonas 


A líder indígena afirma também que os policiais do COE entraram sem autorização na área indígena e fizeram essa abordagem. Uma fotografia da lancha com os policiais também foi enviada e segundo ela, a embarcação estava dentro do rio Mari-Mari, onde tem uma comunidade que não nada a ver com as comunidades do rio Abacaxis.


No terceiro áudio a líder indígena afirma o seguinte:


“Isso não se faz com pessoa inocente. Eu quero justiça. A gente já fez o boletim, a gente já foi na delegacia. Ficaram de voltar hoje aqui e até agora nada. A gente é indígena. A policia devia ir atrás das pessoas que cometeram crime. Não do meu pessoal. Um desses corpos que a gente encontrou era do mais velho de 26 anos. Ele não era bandido. Era nosso transportador de alunos da escola. Ele não era envolvido com droga.


Em tom de tristeza e revolta ao mesmo tempo a líder concluiu sua denuncia no quarto áudio, dizendo o seguinte:


“Ele não era envolvido em nada (se referindo de novo a Josimar Moraes da Silva, o rapaz encontrado morto no lago). A policia não tinha que fazer essa dor tão grande com meu pessoal. O outro corpo do mais criança a gente ainda não achou. A gente é índio a gente vive na nossa aldeia. a gente na é bicho. Por isso a gente quer justiça”.

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp.

 

ATENÇÃO! IMAGEM FORTE!

 

Corpo que segundo a líder indígena é do membro de

sua aldeia situada no rio Mari-Mari,identificado como Josimar

Moraes da Silva, 26 anos (Foto: Divulgtação)

 

OUÇA OS ÁUDIOS COM AS DENÚNCIAS DA LÍDER INDÍGENA:

COMENTÁRIOS
DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.